segunda-feira, 7 de março de 2011

Caveira de Azar

Vivia em minha vida
Trazia o azar
Vivia vindo dando o azar

Morava na minha mente a tristeza da noite
Quanto mas fundo ia mais triste ficava
Tendo que abandonar o passando
Fugindo e vagando sempre...

Minha vida um lamento eterno
Querendo viver...
Queria me ajudar, mas so faço lamentar
Vivo fugindo...

A tristeza na noite me faz lamentar...
Dos lamentos nasce a esperança e euforia
Dos dias e noites so sei lamentar
Sem motivos para viver...

Uma tristeza sem fim
fico a lamentar
Tenho como simbolo uma pequena caveira

Dias de lamento
Tempo perdido
Tempo em vão jamais esquecio

Tempo triste, tempo maldito
Preso no porão de memorias
Para sempre neste tempo frio
Vagando lentamente no gelo
Memorias inacabaveis
Preso com memorias para sempre
Preso sozinho no gelo eternamente.

4 comentários:

  1. gostei principalmente da quarta e da última parte do poema, bem triste.Escreve ótimos poemas. Tinha uma época que eu escrevia poemas, mas parei.
    Obrigada pela visita em meu blog. Quanto ao tipo de música gótica que eu gosto, tem vários, tbm aprecio bastante Tarja Turunen. Gosto bastante de Lacrimosa, Sopor Aeternus, Diary Of Dreams, Daargard, Draconian, Joy Division, The Systers of Mercy, Blutengel,The 69 Eyes,Artesia, Tristania com a antiga vocalista, Vibeke Stene.
    Vixi, tem um monte!!rs
    Bjos! Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá...adorei teus poemas,parabéns!!
    obrigado por estar seguindo meu blog
    td de bom pra ti..bjus

    ResponderExcluir
  3. Muito bom meu amigo! gostei,abraços.

    ResponderExcluir